•  
  • Eu, Portuga Tavares e Meu Carro Véio

  •  

Alguns dicionários da língua portuguesa definem mania como hábito estranho, ridículo ou gosto elevado ao extremo. Na língua portuga-tavaresa essa palavra carrega a definição de paixão, paixão extrema. Nesse novo episódio de Eu e Meu Carro Véio, temos o prazer de assistir aquele que produz os programas que nós, antigomobilistas, amamos assistir.

Portuga Tavares nasceu e foi “mal-criado” (sic) em São Paulo. Apesar de não fazer parte de uma família tradicionalmente antigomobilista, sempre foi um apaixonado por automóveis antigos. Há 17 anos trabalha como jornalista do setor automotivo, já escreveu para diversas revistas da área e trabalhou em mais de três emissoras de televisão diferentes. Ainda novo aprendeu sozinho tudo o que sabe sobre esse universo e hoje divide esse conhecimento conosco produzindo o programa Auto-Esporte da TV Globo.

Portuga é uma presença marcante no antigomobilismo, já escreveu dois livros (Almanaque do Fusca e Clássicos do Brasil: Kombi), trabalhou em diversos veículos de comunicação falando sobre automóveis e é presidente do Galaxie Clube. Mas é lembrado mesmo por suas manias: Só usa camisetas brancas, só passa pela cabine número 7 no pedágio, todos os seus carros são Ford, são azuis e levam nomes de comediantes. Apesar de ter tentado convencer nossa equipe de que essas “manias” não passam de coincidências temos nossas dúvidas. Mas vamos deixar passar, afinal não sobram muitas opções de escolha de cor para um daltônico, não é mesmo? Pelo menos foi o que um passarinho verde… pera, aquilo era verde né?… enfim, um passarinho nos contou.

Essa grande personalidade nos conta um pouco mais da sua história com o antigomobilismo e nos diverte com seu bom humor. Aproveite, mas tenha cuidado, dizem que mania passa. Entretanto, se você conseguir permanecer imune a isso e precisar vender um ford azul, não se esqueça da nossa comissão.